sexta-feira, 27 de março de 2009

Volteeeeei!!!


É horrível ficar sem internet. Quando é um dia só, ou até dois, tudo bem, mas fiquei mais de uma semana, e a situação ainda não está totalmente resolvida, mas pelo menos já posso 'voltar a brincar'. Por outro lado, como fiquei sem internet, sem tv a cabo e telefone, pude dedicar mais tempo a outras coisas que ficavam um pouco deixadas pra segundo plano, e foi bom. Eu estou muito acostumada a estudar a parte mais teórica da dança pela internet e também assisto a muitos vídeos. Isso não pude fazer nestes dias, mas aproveitei pra treinar mais, trabalhar nas coreografias dos concursos e mostras dos quais vou participar, e ouvir melhor certas músicas. É engraçado como parece que meu ouvido 'se acomodou' depois de um tempo. Sabe aqueles exercícios de identificar a mudança de ritmos, de saber qual o ritmo que está tocando, coisas que eu já tinha aprendido a fazer há um tempo, mas acabei deixando de lado, e 'desaprendi'. Ah, também aproveitei pra ouvir bastante jazz – amo! – e colocar minhas leituras em dia (quer dizer, não tão em dia assim, mas dei uma adiantada, rsrs).


Outra coisa que aconteceu que acho que vale a pena compartilhar. Eu machuquei um pouco feio o dedo do pé esquerdo, e, consequentemente, fiquei sem poder dançar uns 4 dias. Pra mim, foi a morte!!! Maaaas, como boa nerd que sou, tentei buscar uma forma de poder treinar sem me prejudicar. Então comecei a treinar braços. É estranho que, pelo menos pra mim, os braços na dança pareciam sempre um pouco 'desligados' do restante. Sempre foi um desafio fazer com que a posição e o movimento deles ficasse leve, fluido e o mais natural possível. Mas, eis que quando fui treinar braços sem quadril, nem giros, nem nada, foi muito difícil. O resto do corpo simplesmente ia junto! Foi um desafio e tanto, mas pretendo repetir, mesmo sem estar machucada, porque foi algo diferente, e acho que me ajudou a colocar melhor os braços na dança.


Falando assim nem parece que estou falando de um corpo normal, de um todo, e sim de um brinquedo de encaixe ou um robô. Mas isso mostra o quanto não temos consciência do próprio corpo até termos que 'pensar' em cada parte isoladamente. E pessoalmente, A-DO-RO braços e mãos. Acho que é o que mais me chama atenção na dança. É um elemento que eu admiro muito na dança tribal norte-americana e na dança flamenca. Os braços são como uma moldura para a bailarina, e também podem ser as 'palavras' na dança; acho que as possibilidades são muitas, e isso me fascina. E também tem o fato de eu ser de família italiana, rsrs, as mãos me ajudam a me expressar diariamente.


Eva Yerbabuena


Fiz uma miscelânea neste post, mas aos poucos vou pegando o jeito de novo, rsrs. Ah sim, e viva o mundo virtual!

4 comentários:

Giovana disse...

"E também tem o fato de eu ser de família italiana, rsrs, as mãos me ajudam a me expressar diariamente", gostei disso. É bem assim mesmo, rsrs. Até me lembrei de qdo eu conversava com um rapaz italiano, do sul da Itália, ele disse "quando eu falo, danço!" rsrsrs Achei tão bonitinho :-))

Eu acho interessante, mesmo as que estão mais avançadas na dança, sempre treinar as partes separadamente. Tipo, pegar um dia só para treinar tórax e braços, outro dia só pra treinar o quadril, noutro dia treinar tudo junto, com coreografia. Ir alternando, sabe? Fazer o corpo se acostumar a sentir cada parte separadamente, para que quando formar o todo (a coreografia), cada um expressar-se de forma mais marcante e ao mesmo tempo em harmonia com o outro.

Somos um mosaico!!

Beijos! Obrigada pelo comentário. Ainda tenho que melhorar mais, diminuir um pouco o tamanho das postagens, rsrs, ainda estão grandes!! :-D

Natalia disse...

Melhorou o pé??? SE CUIDA MENINA, MP tá ai.. rsrsrs..
Braços e mãos = lindos e quase sempre deixados de lado. Confesso que ainda tenho muita coisa a arrumar nos meus, agora peguei um vício de deixá-los altos demais, grrrr!

Amo a Eva! Muito bem lembrada dentro do post.

Beijocas :)

Giovana disse...

Eeeeeei, que legal!!! Então temos alguma coisinha em comum! rs

Obrigada por apreciar meus posts. Acho que o tamanho vai depender mto do momento, do conteúdo, da situação, não é mesmo? ^^

Estou pensando já no próximo.

Beijos!!

Ket disse...

voltooooou!! \o que bom!!

Eu nem posso falar nada porque braços e mãos são uma das coisas que minha professora mais trabalha. Sempre alinhados, cotovelos, mãos marcadas, coluna reta. No começo estranhei. Aquela visão de dança do ventre 'quadril' era algo q eu tinha em mente, e que foi mudando a partir do momento que comecei a aprender com uma profissa em postura. Como vc disse, eles são como uma moldura. São pequenos perto da obra toda, mas não menos importantes. Molduras rachadas, mal posicionadas ou descascadas acabam com o efeito de qualquer obra por mais linda que seja.

Bjão!